Espaço SER- Psicologia

O Espaço SER- Psicologia é um local de encontro entre terapeutas de várias abordagens e clientes. Temos como proposta, promover através dos atendimentos e das atividades oferecidas, um movimento contínuo de transformação e reciclagem e bem estar.

Este Espaço visa promover a troca de informações, discussões e apoio psicológico todos os interessados em saber um pouco mais de psicologia, Gestalt Terapia, Terapia Sistêmica, de casal, família ou terapia de grupos.

Além de atendimentos clínicos individuais, casal, família e grupos, oferecemos outras atividades para estudantes de psicologia, psicólogos ou mesmo para o público em geral.


Entre em contato e saiba mais!

quinta-feira, 24 de julho de 2014

SER Feliz!!


    Concordo plenamente com esse texto abaixo que recebi essa semana e resolvi dividir com vocês!
    Defendi também tal ideia no meu artigo: "A Felicidade é um Caminho e Não um Fim".
    Aproveitem para SER feliz!
Nathália Villela de A. Bezerra.



 


Nós nos convencemos que a vida ficará melhor, quando nós formos casados, tivermos um filho e, depois, mais um.

Então nos frustramos, porque nossos filhos não têm idade suficiente e achamos que as coisas mudarão quando eles ficarem mais velhos.

Então nos frustramos, porque eles viraram adolescentes e querem discutir conosco a respeito de tudo. Mas achamos que tudo ficará melhor, quando eles forem uns 10 anos mais velhos.

Nós nos dizemos que a vida melhorará, quando nós trabalharmos juntos com nossos parceiros, quando tivermos um carro bonito, quando descansarmos.

A verdade é que não há nenhum momento melhor para ser feliz do que agora.

Se não for agora, então quando?

A sua vida muda o tempo inteiro.
É melhor ter paciência com tudo e se decidir a ser feliz

Durante muito tempo nós pensávamos que a vida começaria a seguir. A vida de verdade.

Pensávamos sempre, é preciso primeiro que outra coisa aconteça durante esse tempo: realizar alguma coisa, terminar um trabalho, esperar um momento, atingir um objetivo. E depois começaria a vida de verdade tão desejada. No final eu entendi que o « depois » já era a vida de verdade.

Desse ponto de vista eu entendi que não existe um caminho para ser feliz. Ser feliz É o caminho.

Curta então o” ser feliz”!!

Pare de esperar até terminar a escola, até voltar para a escola, perder 5 quilos, ganhar peso, começar a trabalhar, casar-se, até a sexta à noite ou sábado de manhã, esperar um carro novo, ter pago a hipoteca, até a primavera, o verão, o outono ou  o inverno, até que a sua música toque no rádio, até morrer e nascer novamente... decida a ser feliz antes!

A felicidade é uma viagem e não um destino. Não há melhor momento para ser feliz do que... AGORA!
Viva e curta o momento.
Autor desconhecido.
 

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Dinheiro X Estabilidade emocional.



    Apesar de não acreditar na máxima que o dinheiro traz felicidade, a falta de dinheiro por sua vez, traz uma desestabilidade emocional em qualquer pessoa.
    Cada pessoa lida de maneira diferente com a falta de dinheiro, mas quem já passou pelo menos por um aperto financeiro e não perdeu uma noite de sono, ou ficou com dor de cabeça fazendo as contas do mês?
    Sim a desorganização financeira está diretamente relacionada a uma desorganização emocional, em maior ou menor grau (apesar do contrário não ser necessariamente verdadeiro. Quem tem dinheiro também pode estar desestabilizado).
    Muitas vezes a terapia é a primeira a ser cortada com a falta de dinheiro, mas particularmente acredito que ela deveria ser mantida ao máximo, pois uma pessoa desestabilizada de um modo geral também não consegue ganhar dinheiro.
    Na minha experiência profissional, a terapia auxilia sim, para conseguir um novo emprego ou até mesmo para pensar em novas opções, apesar de não fazer milagres, não “prometemos seu emprego de volta em sete dias”...
    Entretanto podemos cuidar de todo o fator emocional e muitas vezes familiar para se ganhar dinheiro e ainda de quebra podemos dar algumas dicas práticas de como proceder.
    Compartilho abaixo com vocês algumas dessas dicas, que infelizmente não localizei a fonte, pois recebi por e-mail.
    Essa é a parte prática que podemos oferecer por aqui, mas caso essas dicas não sejam o suficiente, pode ser necessária a ajuda de um psicólogo para entender e trabalhar as questões emocionais da relação com o dinheiro.
    Eu e toda equipe do Espaço SER Psicologia estamos a disposição para tirar dúvidas ou até mesmo avaliar uma indicação a terapia.
Nathália Villela de A. Bezerra.


SÃO PAULO - Se você não faz parte da pequena (e privilegiada) parcela da população rica, é preciso fazer fortuna com o salário que recebe - mesmo que ele seja pouco atrativo. Para o planejador financeiro do site de finanças LearnVest, David Blaylock, é possível fazer fortuna mesmo ganhando pouco.
Em um artigo publicado no site Business Insider, Blaylock explica que o modo mais prático para isso é cultivar hábitos que te ajudem a poupar dinheiro. “Eu faço uma revisão periódica de todas as assinaturas que eu tenho - aquelas que atingem meus cartões de crédito todos os meses”, exemplifica o planejador. “Você ficaria surpreso com quantas assinaturas que nós temos e quantas não são utilizadas. Você poderia guardar esse dinheiro, que soma quantidades significativas a cada mês.”
“A maioria das pessoas ganha mais de um milhão de dólares ao longo de sua vida profissional, mas poucas se tornam milionárias”, disse a planejadora financeira, Nancy Butler. “Como elas gastam o dinheiro certamente faz a diferença.”
Ambos planejadores listaram mudanças simples no cotidiano que podem ajudar qualquer pessoa - independente de quanto ganha - a ter num futuro não tão distante uma conta mais “gorda”. Confira abaixo 8 desses hábitos:
1. Inverta seu pensamento
Depois que o governo abate grande parte do salário e as contas são pagas, não sobra muita coisa para aproveitar o resto do mês - o que pode dar a ideia de que poupar para a aposentadoria parece algo impossível. Mas, para construir a riqueza, é necessário uma mudança nesta mentalidade. Ou seja, em vez de gastar o resto do seu salário líquido, reserve uma parte também para aposentadoria (assim como foi reservada para os impostos e para as contas) de olho nos maiores objetivos financeiros.
Segundo Blaylock, também não é preciso economizar muito, mas algum dinheiro que possa render, mas que não comprometa o orçamento. “Você deve economizar em prol dos seus objetivos financeiros em primeiro lugar, pagar suas contas e considerar gastar o que sobrou”, disse Nancy.
2. Tenha sempre um objetivo definido
Estudos comprovam que fixar metas melhoram a motivação. Sabendo disso, é preciso definir, antes de cultivar qualquer hábito, os planos com o dinheiro que você vai guardar.
Para ter uma poupança pensando no futuro, os especialistas financeiros sugerem ter um plano de cinco anos - em que você cria metas específicas de dinheiro que você gostaria de alcançar em cinco anos e o que você precisa fazer para isso.
“Tendo um objetivo específico em mente nos ajuda a economizar”, diz Blaylock. “Seja uma poupança de emergência, para viagem, para pagar universidade, comprar uma casa ou um carro.”
3. Adote as próprias regras financeiras
O que é essencial para sua vida e o que você pode economizar? Colocar preços limites às compras podem ajudar no orçamento apertado. Por exemplo, se você não liga em ter uma roupa de marca, pode colocar um teto baixo e segui-lo. Por outro lado, se você não sabe viver sem o smartphone do momento, coloque um teto mais alto para este item, diminua o limite de outros e assim continue o ciclo.
4. Viva como um “secreto” rico
Para alguns, a imagem de um milionário remete a enormes mansões, carros luxuosos e gastos excessivos. Mas a maioria dos milionários não vive assim - em vez disso, ela tende a aparentar ganhar menos do que realmente ganha e economiza mais que gasta.
O livro “The Millionair Next Door: The Surprising Secrets of America’s Wealthy” revelou que grande parte dos ricos construiu sua fortuna com trabalho árduo, poupando e vivendo com menos que ganha.
5. Pense em sua aposentadoria agora
Se você está na faixa dos vinte a trinta anos, a aposentadoria parece algo bem distante - e poupar para isso pode não parecer uma prioridade. Mas é preciso ter um pensamento inverso. “Infelizmente, quanto mais tarde você começar, mais você vai ter de poupar no final da vida. Mas quanto mais cedo você iniciar sua poupança, poderá manter a aplicação ou até diminuí-la ao longo dos anos.”
6. Saiba  quanto ganha e quanto gasta
A maioria das pessoas tem boas intenções quando se trata de poupar dinheiro. Mas se você não sabe quanto entra e quanto sai da sua conta bancária, você não sabe o quanto deve se dedicar aos seus objetivos.
Grande parte geralmente não controla seus rendimentos e gastos. “É realmente chocante que os clientes com quem trabalho nem sempre reveem seu holerite”, disse o planejador. “Se eu não sei o quanto você gasta quando come fora, como eu posso esperar que você mude isso?”, questionou.
7. Saia do débito
Bem programada, uma dívida pode ter benefícios. Empréstimos estudantis, por exemplo, são boas escolhas, já cartão de crédito - que tem altas taxas de juros - nem tanto. Segundo Blaylock, dívidas que podem impulsionar a carreira são bem-vindas, mas até para elas deve elaborar um plano para que não impeça o progresso de outros objetivos.
8. Aumente seus ganhos
Há duas maneiras de aumentar seu patrimônio líquido: ganhar mais ou economizar mais dinheiro. “E gastar menos é apenas uma parte dela - você tem que poupar e investir adequadamente”, diz a planejadora do LearnVest, Natalie Taylor. “Apenas ganhar mais não aumentará a renda porque o estilo de vida e as despesas também crescem com ele.”
Mas, se você aumenta sua renda e definir o que fará com esses ganhos, esse dinheiro a mais será melhor aproveitado.
Outra opção é diversificar seus fluxos de renda através de um segundo trabalho em tempo parcial (freelancer) ou procurar oportunidades de investimento. “Eu acho que a poupança para a aposentadoria deve vir de várias fontes, tais como o salário, a renda de trabalhos parciais e investimentos”, diz Blaylock.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Polaridades!

    Certo X Errado, Luz X Sombra ...  
    Todo o aprendizado em nossas vidas acontecem na prática, quando corremos o risco de vivenciar algo.  
    Desse modo naturalmente descobrimos como é acertar ou errar e as consequências disso. Descobrimos também que muitas vezes temos várias facetas e que mudamos de opinião, mas isso ocorre apenas porque nos permitimos ampliar nossas fronteiras e descobrimos coisas novas. 
    O processo terapêutico na Gestalt terapia muitas auxilia no processo de escolha, possibilitando definir nossas dúvidas e incertezas, pois na sessão nos convida a olhar para os dois lados e quem sabe até experimentar em um ambiente seguro essas polaridades.  
    Jorge Ponciano Ribeiro explica que: "Polarização é o processo através do qual o indivíduo organiza e simboliza crenças a respeito de si e do mundo. Isto pode ajudar ou ocultar o processo de auto-regulação".  (Ribeiro 1994) 
 Nathália Villela de A. Bezerra.